quinta-feira, 6 de março de 2008

VELOCIDADE SEIS!


Peço licença ao imortal Nelson Rodrigues, o eterno cronista das conquistas tricolores, para começar esta postagem com uma imortal frase de uma não menos imortal ocasião: a decisão do Estadual de 1969, quando o Fluminense venceu (que dúvida!) o Flamengo.

"Ah! Quem não esteve no Mário Filho não viveu."

Os vivos que deixaram suas casas e os mortos que saíram de suas tumbas presenciaram um daqueles momentos que tão cedo sairão da memória.

A noite de 5 de março de 2008, muito mais do que o primeiro jogo do Fluminense depois de 23 anos na Libertadores, muito mais do que a volta do pó-de-arroz ao Maraca, foi uma noite de gala.

Os anfitriões foram Fernando Henrique, Gabriel, Thiago Silva, Luiz Alberto, Júnior César, Ygor, Arouca, Thiago Neves, Conca, Washington, Dodô, Cícero, Fabinho e Roger.

Os convidados? Os argentinos do Arsenal, tido como um time difícil, campeão da Copa Sul-Americana e claro, por virem do outro lado do Rio da Prata, mereciam todo o nosso respeito.

Mas... por outro lado, o Fluminense vinha consciente de que, jogando bola como a torcida merecia ver e esperava, os três pontos viriam.

Rapaz... e como vieram!

Na verdade, foi um espetáculo em dois atos. No primeiro, com o Fluminense marcando a saída de bola dos argentinos, o primeiro gol não demorou a sair. Thiago Neves, numa cobrança de falta simplesmente magistral, botou a bola na rede dos adversários. Um a zero.

Aos 24, numa jogada muito boa de Júnior César pela esquerda, Dodô, bem ao seu estilo, pegou de primeira e ampliou.

Tinha mais: antes do árbitro Carlos Torres apitar pro intervalo, Gabriel recebeu passe açucarado e encobriu com estilo o goleiro Cuenca - que já operara um milagre ao evitar um golaço do quase-xará e conterrâneo Conca.

Nas cadeiras azuis, onde assisti o jogo, comentara que o placar de 3 x 0 estava excelente e que no mínimo esperava uma goleada de 5 x 0.

Segundo ato: e eis que Dodô entra de novo em ação. Thiago Neves cruza na entrada da área e o atacante, mantendo a tradição de gols bonitos, mandou um canudo de pé direito, indefensável, incrível, inenarrável. A torcida enlouqueceu. O Maracanã, palco dos grandes craques, só faltou estender tapete vermelho para tamanha obra-prima.

Faltava o gol do Coração Valente, do Guerreiro Tricolor. E ele veio aos 26 minutos: triangulação Conca-Dodô-Washington. Bola no fundo da rede do voluntarioso Arsenal, que diga-se de passagem jamais abusou da violência mesmo com o placar cada vez mais dilatado.

Como nos velhos tempos do pó-de-arroz, a torcida gritou "mais um! mais um!" e foi atendida prontamente: numa cobrança de falta, Thiago Silva rolou com carinho e Cícero, num chute venenoso e rasteiro, tratou de matar o time argentino.

Placar final: Fluminense 6 x 0 Arsenal. A primeira vitória do Flu na Libertadores em 37 anos. Uma tremenda mostra aos lorpas e pascácios que este time pode fazer muito na competição continental.

Parabéns aos torcedores - entre os quais orgulhosamente me incluo - que foram ao Maracanã. Gritamos, cantamos e mostramos todo o nosso orgulho. Orgulho de ser tricolor. Orgulho de quem veste o manto sagrado das três cores de tradição, de raça e de coração.

Afinal de contas, o Fluminense também conseguiu outra façanha: ensinou os argentinos do Arsenal de Sarandí como se dança o créu na velocidade seis!

Saudações tricolores.

8 comentários:

Anônimo disse...

Rodrigo,

Eu fui para o outro lado das Amarelas só para voltar a ver o PO-de-arroz.
O jogo me lembrou o Brasileiro de 84 contra o Coritiba, quando o Flu enfiou 5 com o primeiro gol de Dom Romero pelo Flu.

Tô emocionado até agora. Acho que estarei no Sábado em Interlagos com a Camisa Vinho. Os caras vão pensar que é de um torcedor do Juventus, mas é a do UNICO TRICOLOR.

Caíque Gravatinha.

Rafael Fonseca disse...

Pô, não vi nenhum comentário aqui quando esse mesmo time foi ridiculamente eliminado no carioca, depois de já estar pensando na final com o Flamengo...

Saco de Gatos disse...

Rafael, quando seu time ganhar de sete de um argentino numa Libertadores, volte a conversar comigo.
E prepare o lencinho. O chororô vai mudar de lado na final do Estadual.
Ou você tem alguma dúvida de que o seu ridículo time vai ser derrotado pelo meu? Pois se o time "B" já deu um pau no seu...

Dennis disse...

Rodrigo, o termo "portenho" se refere apenas aos habitantes de Buenos Aires, e não aos argentinos em geral. Seria o mesmo que algum argentino se referisse a todos os brasileiros como "cariocas".

Rafael Fonseca disse...

O meu ridículo time (que hoje é ridículo mesmo, como já disse aqui anteriormente), é bi-campeão da libertadores, bi-campeão mundial, octa-campeão brasileiro, entre outros, além de ser o atual vice-campeão brasileiro e bi-paulista. De 2003 pra cá, só ficou de fora da disputa da Libertadores em 2006. O meu ridículo time já teve jogadores como Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pepe, Zito, Clodoaldo e, mais recentemente, Giovanni, Diego, Robinho, Elano e Zé Roberto. Pra terminar, meu time nunca foi parar na série C do campeonato nacional (nem de nenhum outro).

Saco de Gatos disse...

E eu pensando que se tratava de recalque de Urubu... mas não... eis um santista provavelmente vivendo do passado e que se não sabe, vai saber... nos últimos anos, virou FREGUÊS DE CADERNO do Fluminense. E no Brasileiro de 2007 tomou duas lavadas, uma no Maraca, outra na Vila.
Contra fatos não há argumentos.

Rafael Fonseca disse...

Eu sei que meu time tem perdido seguidamente para o Fluminense. No último jogo de 2007 eu estava no estádio e até deixei comentário no seu post sobre o jogo. Agora, viver de passado eu não vivo. Tenho só 26 anos e o primeiro título importante que vi de meu time foi o brasileiro de 2002 mas, antes disso, pude de ver no estádio aquele famoso 5 x 2 sobre o Fluminense na semifinal de 1995... Mas Rodrigo, não se preocupe e me desculpe se fui mal compreendido. Acompanho seus textos há algum tempo e o que disse acima, sobre a eliminação, foi apenas uma brincadeira, sem nenhuma intenção de ofender, de alguém que sente ter alguma "intimidade" por estar acostumado a ver seu blog todos os dias.

Anônimo disse...

Não sou torcedor do Flu ,mais foi realmente uma partida impressionante,um show de futebol,vi pela TV ,inesquecivel!
Algo dificil de dizer nos dias de hoje ,vai ficar pra historia.

Jonny'O