sexta-feira, 14 de março de 2008

Capacetes hístóricos - parte 2

Eis o "elmo" do inesquecível Gilles Villeneuve, usado no histórico GP do Canadá de 1981, quando guiou com o bico destruído e foi ao pódio.

Com direito a autógrafo: o capacete do aguerrido Clay Regazzoni usado por ele em 1976. O fabricante é a Jeb's, popular entre motociclistas na época

Até o fim: Graham Hill usou o mesmo layout de 1958 a 1975. Este aqui é o capacete de 74, quando tinha sua equipe, a Embassy-Hill Racing

Derek Bell não fez muito na F-1, mas foi muito bem nos protótipos: com esse capacete, venceu em Le Mans / 75

Ídolo dos "matracatricas", Chris Amon usou este Bell quando correu na Ensign, em 1976

A marca registrada de Jacques Laffite: o capacete verde e os adesivos da escola de pilotagem Winfield, da França

5 comentários:

Anônimo disse...

O capacete de Hill é um classico,talvez o primeiro a ter uma marca registrada ,insuperável!!

Jonny'O

Caíque Pereira disse...

O do Amon, está a meia-boca, pois está faltando o Kiwi, que sempre foi estampado de ambos os lados, mesmo quando se usava o Casco Aberto.

Garcia disse...

Uma pena que um dos motivos de maior fascínio por parte dos fãs de corrida esteja cada vez mais escondido atrás das necessárias proteções laterais.

Nâo sou saudosista, mas nesse caso dá para afirmar que nunca mais nos acostumaremos com lendas como essas!!

fabio disse...

hoje em dia, os capacetes dos pilotos de F1 estão cada vez mais parecidos com os da turma da motovelocidade...

Anônimo disse...

o capacete do Gilles era um GPA, quele que não tinha correia no pescoço, e sim aquele sistema de presilhas que se abriam por baixo...
Tive um desses.