quarta-feira, 2 de abril de 2008

Uns chamuscados, outros...

Camarada Alexander Grünwald, em seu blog, explana uma observação bastante interessante sobre a cartolagem da Fórmula 1 no último mês de março, colocando Ron Dennis, Jean Todt, o falecido Jean-Marie Balestre e Max "pede pra sair" Mosley na berlinda.

E eu concordo: dos quatro, quem menos ficou no prejuízo foi o "Napoleão" da Ferrari.

Afinal, mesmo com um cargo tido como decorativo, que é o de representante da escuderia no Conselho Mundial da FIA, ele continua com prestígio.

Ron Dennis perdeu o seu, duplamente: para a cúpula da Mercedes-Benz, acionista majoritária da McLaren e na vida pessoal, vide o divórcio da estadunidense Lisa.

Jean-Marie Balestre, que entre os devotados e exaltados fãs de Senna não tinha nenhum prestígio foi, segundo muitos, sentar no colo do Capeta.

E Max Mosley quis ser o bamba da orgia. Mal sabia ele que tudo fora filmado e seu mandato à frente da FIA corre sério risco.

Tem mais: já se fala em Jean Todt e também em Peter Sauber como supostos candidatos a suceder Mosley.

Que a FIA precisa de gente do ramo, que entenda de automobilismo, não há dúvidas. Até porque eu, você e todos os que gostam do esporte estamos enojados com a falta de competitividade da Fórmula 1 e seus regulamentos cada dia mais estapafúrdios.

3 comentários:

Anônimo disse...

Vou até mais longe Rodrigo, não só a F1 está precisando de regras e comando de quem entende do ramo, o WRC e várias outras categorias tambem.

o tio max com sua tônica de corte de custos e sua mentalidade de "adevogado" fizeram muita lambança nas regras do automobilismo em geral, não digo não foram feitas coisas boas , mas no balanço geral, acho que os "contras" superaram os "prós", com o agravante da soberba do Max que insistia de maneira quase patológica, em determinadas regras e ditames que já tinham se mostrado equivocadas, imagino que talvez ele queria provar que no final estava certo ou então já era um traço de suas taras sadomasoquistas aparecendo. hehe

tenho um fiapo de esperança que seu provável substituto, caso ele realmente perca o cargo, seja alguem um pouco mais comprometido com a competição e não com o "espetáculo".


abs

Filipe W

Mazorca disse...

Um amigo jornalista na hora pensou nisso, Todt sendo o presidente da FIA. O cara entende tudo de competições, foi vencedor em categoria e cargos diferentes. Será uma boa aposta...

Grünwald disse...

Isso porque ninguém aventou, até agora, uma suposta teoria da conspiração para favorecer Todt ou quem quer que seja. Mas é fato que ainda vai correr muita água sob esta ponte...