quarta-feira, 16 de abril de 2008

Mau exemplo

O São Paulo comunicou nesta quarta-feira que o meio-campista Carlos Alberto não faz mais parte dos planos do clube. O jogador fica no clube até o fim do contrato de seis meses assinado com o tricolor paulista e depois deve ser devolvido ao Werder Bremen. As razões alegadas para o afastamento do atleta são a briga com o volante Fábio Santos, em plena concentração (que lhe causou uma suspensão de 15 dias) e a pouca disposição para perder peso. Carlos Alberto tem um problema de disfunção hormonal e jamais se tratou direito para solucionar o problema.

Não custa nada lembrar: o jogador tem apenas 23 anos - faz 24 em dezembro deste ano. E um atleta de 23 anos, que já acumula a quantidade de clubes que ele tem no currículo - Fluminense (duas vezes), FC do Porto, Corinthians, Werder Bremen e São Paulo - não vai chegar a lugar algum na carreira.

Carlos Alberto se assemelha a outro jogador formado no Fluminense: Roger. Tem algum talento, lampejos de craque, mas não é decisivo - embora José Mourinho, quando trabalhou com ele em Portugal, gostasse muito dele. São dois jogadores que além de não terem estofo de campeões são péssimos exemplos de comportamento dentro e fora de campo.

Enfim, para mim não foi nenhuma surpresa que ele durasse tão pouco no elenco do São Paulo. Agora que o clube terá a opção de substituir três atletas que jogaram na primeira fase da Libertadores, para a próxima, é sabido que a camisa 19 passará para outro atleta.

A decisão do afastamento de Carlos Alberto partiu do próprio presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio. E ninguém mais autorizado a fazê-lo, pois se o investimento feito no empréstimo e no pagamento dos altos salários do jogador só resultou em prejuízo...

2 comentários:

K2 disse...

A maior preocupação da vida deste jogadorzinho é, sem dúvida nenhuma, com o seu cabelo. Joga pouco, muito pouco.

batuta_castro2 disse...

O Juvenal foi perfeito, porque ele é um desagregador em todo time que vai.