quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

O preço que a violência cobra...

É... infelizmente não basta tentar encher a vida da gente de poesia e de coisas boas, sem que a realidade nos venha bater à porta.

Hoje no começo da tarde, chegou a lamentável notícia: Lídio Toledo Filho, vítima de assalto no último dia do ano, perdeu os movimentos das pernas.

Ainda por cima, a polícia soube que o crime foi cometido por três menores. E a gente sabe que a delinqüência começa assim mesmo, com bem menos de 18 anos de idade. Basta olhar à nossa volta nas ruas pra gente saber com o que estamos lidando. Na minha última viagem para São Paulo, por exemplo, dois meninos maltrapilhos vieram encher meu saco quando eu liguei o notebook na tentativa de me distrair em Congonhas. Se não fosse a segurança do aeroporto, já viu né...

Enfim, o que eu quero dizer é o seguinte: é um fato que este episódio tem ganho repercussão porque o pai da vítima é um antigo ortopedista da CBF e conhecido no país inteiro. Não fosse por isso, tenho certeza que a maioria das pessoas não se sentiria atingida por mais um episódio triste como este.

Mas podem escrever aí: daqui a uma semana, ninguém mais vai escrever cartas para O Globo falando mal do reveillón, das balas perdidas e nem da violência sofrida por Paulinho da Viola e esposa, Helena Ranaldi e o namorado, e Lídio Toledo Filho e esposa. Afinal de contas, o carnaval vem aí...

Triste retrato de um Rio de Janeiro cada vez mais imprestável pra se viver e conviver. Num reveillón onde a música mais cantada é o "Rap das Armas" - aquele que abre o filme Tropa de Elite - o que mais posso dizer?

Um comentário:

Alan disse...

O rap das armas é um dos retratos do RJ... Ele é conhecido da periferia desde 96 mais ou menos, não é novidade nas favelas, assim como não é novidade a violencia que agora atinge toda a a cidade... O filho do Lidio Toledo foi mais um da extensa lista de um governador incopetente que não consegue reprimir assaltos á carro e acha o máximo o aumento de mortes em confrontos com a policia como se isso fosse sinal de que algo melhorou...