terça-feira, 22 de janeiro de 2008

E o Oscar NÃO VAI para...

... "O ano em que meus pais saíram de férias". Pois é... o filme brasileiro dirigido por Cao Hamburger não passou pelo processo de seleção que determinou os cinco filmes hoje anunciados para concorrer ao Oscar de melhor filme estrangeiro. Chegou à chamada "short list", onde sobraram nove produções, mas acabou de fora da disputa - onde não haverá nenhum filme latino.

Os escolhidos são: "The counterfeiters”, de Stefan Ruzowitzky (Áustria), “Beaufort”, de Joseph Cedar (Israel), “Mongol”, de Sergei Bodrov (Cazaquistão), “12”, de Nikita Mikhalkov (Rússia), “Katyn”, de Andrzej Wajda (Polônia).

E desta vez, não houve uma produção que ganhasse um caminhão de indicações, como já aconteceu em priscas eras. O filme dos irmãos Joel e Ethan Coen, "Onde os fracos não têm vez" e o de Paul Thomas Anderson, "Sangue negro", tiveram oito indicações cada.

Agora, sem querer tirar os méritos do filme de Cao Hamburger, o Ministério da Cultura errou feio ao não apontar "Tropa de Elite" como um possível candidato ao prêmio de melhor filme estrangeiro. Mesmo com doses consideradas exageradas de violência, Capitão Nascimento e cia. limitada mereciam sem dúvida melhor sorte.

Quem sabe, em 2009...

Um comentário:

João Garays disse...

Eu assisti "O ano em que meus pais sairam de férias" e fiquei surpreso quando soube que ele havia sido o filme brasileiro escolhido para tentar representar o país no oscar. O filme não é péssimo, mas com certeza não é um filme que eu assistiria outra vez. De melhor nesse filme, é a interpretação de Caio Bla (é assim que escreve?) que aparece pouco, mas quando aparece salva o filme. De resto é um filme de sessão da tarde. Acho que "Tropa de Elite" merecia a chance de representar o país. Mas também que se foda, não preciso que nenhum americano ou seja lá sua nacionalidade, me diga qual filme é melhor que o outro, eu faço todo ano o meu oscar particular, escolhendo qual os melhores filmes que eu vi durante o ano. Garanto que meu oscar particular é menos chato do que a cerimônia tradicional. O minha cerimônia anual é da seguinte forma: pego uma garrafa de Wiskey sento no sofa, e fico pensando nos filmes, legal né? acho que a globo vai transmitir essa minha cerimônia ano que vem.