segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Onça cutucada...

O ano de 2008 promete!

Este blog tem sido visitado por gente ilustre que até fico vermelho de vergonha e orgulho.

Mestre Joca, sumido por razões pessoais que oportunamente serão reveladas, aproveita para devolver a resposta do Ricardo Divila acerca do Snob's Corvair para lembrar de um projeto que acabou não indo adiante: o Fitti-Alfa.

Detalhe: eu tive essa Quatro Rodas, número 117 - abril de 1969, onde saiu a reportagem sobre o protótipo.

Maquetes do Fitti-Alfa


Diz aí, Joca!

Apesar do protótipo Snob´s Corvair do Eduardo Celidônio ser constantemente referido como o primeiro projeto do Ricardo Divila, este nem de longe se iguala tecnologicamente ao projeto seguinte, o Fitti-Alfa ou Fitti 4, como queiram.

Projetado e construido no final de 69, em parceria com Ary Leber, o Fitti-Alfa foi o primeiro carro nacional a ter um estudo
aerodinâmico em túnel de vento do CTA - Centro Técnico da Aeronaútica e o primeiro a se valer de novidades da época como, freios aerodinãmicos (não funcionaram...) e tomadas de ar tipo NACA.

Pena que o carro já quase pronto foi vendido a Marivaldo Fernandes, pois Wilsinho Fittipaldi já ensaiava ir para a Europa competir de F-3, levando junto o Ricardo Divila. O carro ficou ainda algum tempo nas oficinas da Jolly-Gancia até ser comprado por Nathaniel Townsend, que o levou para ser terminado por Anésio Hernandez (foto abaixo).

Que eu me recorde, o carro só andou em uma prova, as 250 Milhas de Interlagos de 1970, abandonando a corrida por quebra de um suporte de amortecedor, salvo engano....
O carro depois foi recolhido à fazenda de Nathaniel em Arujá / SP, onde se encontrava até alguns anos atrás.

6 comentários:

Anônimo disse...

Grande Joca !

essa é a unica foto até hoje, pelo menos que eue saiba, do Fitti F4 ou Fitti Alfa, de resto só fotos da maquete como essas que o Rodrigo postou que são da QR da época.
Percebe-se que algumas coisas mudaram em relação a concepção inicial, para o pessoal que quer saber mais é só ir no site da obvio que há um ótimo relato sobre o projeto além de mais algumas fotos do projeto.

http://www.obvio.ind.br/Ary%20Leber%20conta%20um%20pouco%20das%20historias%20de%201968%20e%201969.htm

abs

Filipe W

Anônimo disse...

Desculpe, mas vou discordar do Mestre Joaquim. Como um carro pode ser revolucionário e não ter história nas pistas? Não seria exatamente essa a idéia?

Anônimo disse...

Permita-me discordar de vc anônimo ,mas um carro revolucionario pode ser apenas no conceito mecanico ou aerodinamico de sua construção ,e pode dar certo ou não.
Há muitos exemplos na historia da propria F1 em que uma ideia revolucionaria não tenha passado de maquete ,como o Brm asa de 69.

Jonny'O

Joaquim disse...

Meu caro Anônimo,

Não afirmei que o carro era "revolucionário", apenas disse que tinha soluções técnicas muito mais avançadas que o famoso Snob´s Corvair. No mais, faço minhas as palavras do Jonny´O.

Um abraço,

Anônimo disse...

O problema do Fitti-Alfa creio que foi mais falta de desenvolvimento ($$$$) do que o projeto propriamente dito, haja visto que o carro foi terminado por terceiros e participou só de uma corrida. Talvez se tivesse um melhor desenvolvimento fosse páreo à altura para os Heve, Polar e Manta que o sucederam.

Giba (RJ)

Ary Leber disse...

Ja faz bastante tempo que me afastei do automobilismo e hoje estava dando uma fuçada na net e vi esses comentários. Gostaria portanto de contar pra vcs que o que houve foi uma decisão que o Wilson teve que tomar na época, como o Emerson aconteceu na Europa, o Wilson que estava tocando os negócios por aqui, decidiu tambem ir pra lá acompanhar o irmão, então vendeu os carros a fabrica e se mandou para lá. O carro realmente era revolucionario em diversas coisas como uma carroceria estudada em tunel de vento mas que infelizmente não foi completada, tinha a estrutura toda feita em tubos de aço (sem costura) cromo-molibdenio 4130, que nem existia no Brasil, foi soldada por um processo desenvolvido por nós, pneus slic importados e o projeto feito a partir dos pneus o que tb era novo por aqui, alias projetar carros de corrida assim de maneira completa tb era novidade. havia espaço para posteriormente receber um motor V8 mas o motor deveria ser um Alfa2000 e não o 1300 que recebeu. Concordo com o Anonimo que disse que faltou desenvolvimento porque o carro, se analisado em detalhes, era bastante revolucionário para a época
Abçs
Ary Leber