sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Aonde vai parar?

Enquanto o WTCC começa a temporada com razoáveis 21 inscritos - e seriam vinte e dois se a N. Technology tivesse trazido o Honda Accord de James Thompson, o panorama não é dos melhores nas competições nacionais escaladas para as preliminares do Mundial de Turismo.

O Brasileiro de Marcas tem cinco destas representadas em Curitiba: Volkswagen, Ford, Fiat, Chevrolet e Renault. É sabido que não existe nenhum apoio oficial de fábrica - não sei informar se ao menos há aos pilotos e equipes um desconto em peças.

Mas o total de pilotos inscritos é desolador: são apenas 10 - quatro com VW Gol, dois com Chevrolet Corsa, dois com Ford Fiesta, um com Fiat Palio e outro com Renault Clio.

Fiasco maior é a Fórmula Brasil, surgida dos escombros da Fórmula Renault. Há apenas quatro (isso mesmo!) equipes presentes, sete carros e seis pilotos. Ano passado, em Campo Grande, na primeira tentativa da CBA e da Interlagos Eventos, que promove tanto o Marcas quanto a Fórmula Brasil, havia cinco carros. Que baixaram para dois (!!!) em Vitória.

Aonde vai parar o automobilismo brasileiro?

Com a palavra, a CBA, os promotores e as equipes. Pela ordem.

3 comentários:

batuta_castro2 disse...

É ridículo o tratamento que a CBA dá para os monopostos. Justamente quem deveria promover este evento, não faz nada. Esse Scaglione tinha que ter a humildade de "pedir pra sair". Incompetente!

Joaquim disse...

Mattar,
Queriam o quê?
O promotor da categoria Marcas é o panaca do Antonio "Toninho" de Souza, Diretor de Marketing da CBA, que já conseguiu afundar uma vez a F-3 Sul-Americana.O grande problema do Marcas é que ninguém consegue se entender quanto ao Regulamento Técnico. As equipes estão chiando quanto ao uso de pneus slick em vez de radiais, bem mais baratos e duradouros, além de outros detalhes de preparação. Pra se ter uma idéia da baderna que campeia solta, somente no Paraná existem QUATRO regulamentações diferentes para Curitiba, Cascavel,Londrina e o regional. Sem contar que os gaúchos também mantém um regulamento técnico próprio para o regional de Marcas. Quer dizer, neste Samba do Crioulo Doido, ninguém se entende....
E calcula-se que existam cerca de 150 carros prontos e em condições de disputar o Brasileiro de Marcas, caso houvesse um entendimento sobre a unificação de regulamentos.
Enquanto isso, os grids morrem à míngua por intransigência e burrice do promotor e da CBA.
A saída é improvisar: corre á boca pequena que os quatro Gol que estão inscritos são da escola de pilotagem do Sr. Toninho de Souza, uma maneira de "engordar" o magérrimo grid de largada.
Será que está havendo "incentivo" por parte da fábrica de pneus slicks?
Sei não, sei não...
É por essas e outras que não me animo mais com o automobilismo nacional

Joaquim disse...

Corrigindo o comentário anterior, "dois Fiesta e um Palio da escola de pilotagem do Sr. Toninho de Souza" e não quatro Gol como havia dito antes.