sábado, 22 de dezembro de 2007

Clip da semana - "Eight Miles High"

O grupo estadunidense The Byrds foi um dos marcos do folk-psychedelic rock, levado de roldão pelo sucesso de Bob Dylan no início dos anos 60, surgindo em Los Angeles em 1964 - para ser mais exato.

Com Roger McGuinn, David Crosby e Gene Clark nas guitarras, Chris Hillman no baixo e Michael Clarke na batera em sua primeira formação, o grupo não tardou a gravar seu primeiro sucesso, coincidentemente um hit de Dylan - "Mr. Tambourine Man", onde se destacava McGuinn com sua guitarra Rickenbacker de 12 cordas. E pouco depois, com "Turn! Turn! Turn!", de Pete Seeger, alcançavam o #1 do chart da Billboard.

As harmonias que o grupo experimentou nessas gravações deixaram claro que o caminho a ser seguido era o da psicodelia e não foi surpresa quando os Byrds gravaram uma canção que serviu de estímulo para o Cream em sua "Dance The Night Away", do disco Disraeli Gears de 1967.

A música é a do clip aqui embaixo: "Eight Miles High", que não teve o mesmo sucesso das antecessoras, acredito que pelo folclore em torno do título, pois muitos atribuíam a influência de drogas como LSD e heroína à letra - e que na verdade seria sobre uma viagem (de avião) da banda de LA para Londres, na Inglaterra.

Sendo sobre drogas ou não, a música é muito bacana. Tanto que contribuiu para o lançamento do disco "Fifth Dimension", seguindo a mesma toada do folk-psychedelic rock. Eu gosto. Espero que vocês, também.

2 comentários:

Anônimo disse...

Um simples adendo aos excelentes comentários aqui postados. Essa música, composta por Gene Clark, David Crosby, e R. MacGuinn, e foi gravada em janeiro 1966 pelo selo Columbia nas vozes de Jim MacGuinn-12 string guitar/vocal, Gene Clark-tamborine/vocal, David Crosby-rhythn guitar/vocal, Criss Hilman-bass/vocal, e Michael Clarke-drumn. Em 1967, morávamos em Londres e assistimos no Hydel Park uma apresentação 0800 da banda, onde a doidera relatada no texto é verídica. Paradoxalmente essa canção fez mais a cabeça dos londrinos que Mr. Tamborine Man, Turn/Turn/Turn e 5D Dimension. Parabéns por nos levar de novo aonde o vento fazia a curva! Saudações belgo-monarquistas, carlo paolucci.

r/t disse...

Interessante relato do Carlo, shows memoraveis no hyde park, que coisa boa !

E confesso que não conhecia essa musica, e ao notar o titulo sinceramente, dada a época, o pensamento que me veio foi sobre esse "high" ser de chapado mesmo, de viagem